Terça-feira, 27 de Maio de 2008
Olhão hoje é notícia em

 

Dia do Pescador, comemorado em Olhão
 O Dia do Pescador comemora-se a 31 de Maio e a cidade de Olhão assinala a efeméride com dois dias de festa.

A pesca continua a ser a imagem de marca da cidade de Olhão e a base de subsistência de diversas famílias do concelho.

As comemorações do Dia do Pescador têm início a 30 de Maio com o debate “Turismo Responsável – Contributos para o Desenvolvimento Sustentado das Comunidades Costeiras”, no Auditório da Quinta de Marim, às 10h00. A sessão vai centrar-se no papel do turismo na sustentabilidade ambiental de uma região, o seu contributo no combate ao desemprego e a definição de Turismo Responsável .

No Museu da Cidade é inaugurada a exposição de modelos “Embarcações Tradicionais Portuguesas”, cedida pelo Museu da Marinha, às 17h00.

Ainda no dia 30, o caíque “Bom Sucesso” promove passeios na Ria Formosa.

No Dia do Pescador, a partir das 11h00, o Salão Nobre dos Paços do Concelho vai ser o palco da cerimónia de entrega de distinções a várias figuras e tripulações de Olhão.

Com base em dados fornecidos pela Direcção Geral das Pescas e Docapesca referentes ao ano de 2007, quatro embarcações distinguiram-se pelo maior valor de descarga na Lota de Olhão.

Na Pesca do Arrasto o destaque vai para a embarcação “Jorge Miguel”, no Cerco a homenagem é dirigida aos homens do “Samuelito”, na Pesca Polivalente Local sobressai a “Adélia da Paz” e na Polivalente Costeira a homenagem cabe a “Sara Miriam”.

Em Aquacultura os distinguidos são João Miguel Sequeira Sabino e a Tunipex, respectivamente em Moluscicultura e Piscicultura.

Na arte da Ganchorrra de Mão, o pescador João António de Almeida merece destaque pelo maior volume de vendas.

Isaura Lopes Gonçalves e Maria Natalina de Jesus vão ser distinguidas pelo trabalho exclusivamente dedicado à arte de mariscar.

António Joaquim Moncheira, com 56 anos, vai ser homenageado pelo cargo que tem desempenhado de Maquinista Marítimo, há várias décadas. Já Hernâni Baptista, com 18 anos, é o mais novo pescador no activo, com direito também a distinção.

João Aureliano Inácio merece destaque no Dia do Pescador pelos cursos de formação que tem frequentado ao longo dos anos.

Instituído este ano, o Prémio Industria Conserveira irá destacar a empresa Conserveira do Sul.

Também em destaque estará a empresa Algarfresco que receberá a distinção de Empresa Inovadora. O prémio deve-se ao facto da Algarfresco ser a primeira empresa certificada na área da qualidade (ISSO 9001) ligada à indústria pesqueira.

observatório do algarve


 
 Olhão recebe o top do Andebol nacional
O Benfica, campeão nacional de andebol, em seniores masculinos, lidera a galeria de quatro clubes que vão participar no Torneio de Andebol “Olhão 200 Anos da Restauração”, a disputar entre 30 de Maio e 1 de Junho.

FC Porto, Sporting e Belenenses são as outras equipas convidadas pela Associação de Andebol do Algarve e pela Câmara Municipal de Olhão para três dias de andebol ao mais alto nível, no Pavilhão do Clube Desportivo Os Olhanenses.

O torneio arranca sexta-feira, 30, com as partidas Sporting-Benfica (19:00 horas) e FC Porto-Belenenses (21:00). No sábado, jogam-se o Benfica-Belenenses (17:30) e o Sporting-FC Porto (19:30). A prova encerra domingo, com os encontros FC Porto-Benfica (11:00) e Belenenses-Sporting (15:30).

Os melhores atletas da modalidade não vêm apenas para competir: na agenda, está previsto o convívio com os alunos das quatro escolas EB 2.3 do concelho olhanense.

O objectivo da câmara de Olhão passa por tornar este torneio quadrangular de andebol num “evento anual”.
Região Sul

 
 Rei de Andorra em Olhão 

A história de Andorra também passa por Olhão. A ligação da cidade algarvia a um importante e, até agora, algo nebuloso episódio deste Principado na fronteira entre Espanha e França, motivou uma visita do Embaixador de Andorra em Portugal à cidade, no passado dia 19.

Em 1934, um aventureiro de origem russa chamado Boris Skossyreff ocupa o poder em Andorra, juntamente com alguns notáveis do Principado, e é proclamado Rei Boris I. Apenas uma semana depois, é preso e expulso pelos espanhóis, tendo-se refugiado em Olhão.

A história deste Rei de Andorra, depois desta curta aventura, foi desvendada pela APOS-Associação de Valorização do Património Cultural e Ambiental de Olhão.

Algo que despertou o interesse do Governo andorrano, que enviou o seu mais alto representante em Portugal à cidade da Restauração.

O embaixador de Andorra foi recebido na Câmara de Olhão no passado dia 19 de Maio, numa sessão em que participaram diversos membros do executivo, representantes da APOS e a filha de Francisco Fernandes Lopes, um intelectual olhanense nascido no primeiro quarto do século XX.

As novas informações sobre Boris Skossyreff foram conseguidas através da correspondência que este trocou com aquele intelectual olhanense, uma das pessoas que o apoiou durante a sua estadia em Portugal.

A vida do aventureiro russo, conforme descobriu a APOS, seria digna de um romance de Dostoiévski.

Depois de ter conseguido um passaporte português, em 1935, «graças aos esforços do advogado Carlos Fuzeta e do intelectual Francisco Fernandes Lopes», Boris Skossyreff rumou a França, onde depressa foi detido e onde lhe foi retirado o passaporte luso, conta a APOS.

«Boris telefona aflito ao Dr. Lopes pedindo-lhe que este solicitasse ajuda ao Presidente do Conselho Dr. Oliveira Salazar, que ele considerava “funcionalmente honesto”. Francisco Fernandes Lopes não sabe se houve interferência de Salazar, mas a verdade é que o passaporte foi devolvido…!», conta a associação.

Ainda assim, não foi por muito tempo que permaneceu em liberdade. Pouco depois, Boris foi preso de novo e só recuperou a liberdade em 1942, depois do exército alemão ter invadido Paris.

Durante o resto da II Guerra Mundial, continuou livre. «A libertação de Boris parece ter obedecido a um acordo que passou pela sua ajuda na frente russa, onde foi intérprete do exército alemão», diz a APOS.

Um feito que acabou por lhe condicionar o resto da vida. Depois de terminada a guerra, é preso, primeiro pelo exército norte-americano e, mais tarde, pelos franceses. Depois seguiu-se um período de liberdade, em que se instalou na Alemanha de Leste, na localidade de Boppard.

Por razões não conhecidas, ter-se-á deslocado à zona de Berlim, tendo sido preso pelos seus compatriotas e condenado a 25 anos de trabalhos forçados na Sibéria.

Foi libertado em 1956 e voltou para Boppard, onde residiu, pacatamente, até à sua morte, em 1989.

A APOS descobriu grande parte da atribulada história de vida deste verdadeiro aventureiro através das cartas que este trocou com Francisco Fernandes Lopes, em 1958, «onde refere as saudades que sentia do seu amigo, de Olhão e de Portugal. Nestas cartas, ele explica o seu percurso», revelou a associação.
  barlavento online


 


mano zé às 08:19
link do post | comentar

acompanhe a
blogosfera olhanense actualizada a cada meia hora

 

     aqui

visitantes desde 26/12/2008

arquivos

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

subscrever feeds