Sábado, 9 de Agosto de 2008
Olhão esta semana foi notícia em:

 

Entrada na Quinta de Marim vai custar 1,50 Euros
   ICN promete obras de requalificação para breve, para travar degradação na Quinta. Por agora, paga-se 1,5 euros, mas a visita vale a pena.

Fonte do ICN disse ao OA que as obras deverão avançar muito em breve, mas a direcção do parque considera ser ainda prematuro divulgar em que consistirão. Depois do Verão, haverá novidades.

Fiquemo-nos pois pelo capítulo dos desejos: os ambientalistas gostariam que, entre as futuras realizações, estivesse a recuperação e abertura do moinho de maré – construído em 1885 e que funcionou até 1970 -, a reabilitação definitiva do pontão, a requalificação dos painéis indicativos e a realização de obras na sede, actualmente muito degradada.

João Ministro, dirigente da associação ambientalista Almargem, garante que, por ali, o pontão de atracagem dos barcos só funciona – a título provisório – porque a sua associação o recuperou, para que estivesse apto a receber embarcações e pessoas no âmbito da Feira Nacional de Parques Naturais e Ambiente 2008, que ali se realizou em finais de Julho.

O espaço, designado Centro de Educação Ambiental, tem uma barca de atum recuperada, única no Pais, um observatório de aves e alberga nos seus 60 hectares núcleos social e ambientalmente tão importantes como um canil dedicado aos cães d’água e o centro de recuperação de aves selvagens, fundamental para o tratamento de pássaros feridos.

A quinta deverá continuar a constituir o único pedaço de área protegida do Algarve onde se paga entrada, mesmo depois da recente entrada em vigor de um diploma que prevê o pagamento de entradas em áreas públicas de parques naturais para financiar a conservação da natureza e a biodiversidade.

O diploma prevê a isenção de pagamento a residentes dos concelhos abrangidos por aquelas áreas classificadas e cria uma nova estrutura designada Rede Fundamental de Conservação da Natureza, para juntar à REN (Reserva Ecológica Nacional) e à Reserva Agrícola Nacional (RAN).

João Ministro não discorda do princípio do pagamento – aliás já em execução há alguns anos no Centro de Educação Ambiental -, mas sustenta que “deveria haver mais atractivos para cativar as populações”, e observa que os 60 hectares da quinta são “uma gota de água” nos 20 mil hectares da Ria, esmagadoramente nas mãos de privados.

“Para aplicar essas taxas de forma mais abrangente, teria que haver um acordo com os privados, que detêm boa parte da área da quinta, sublinha.

Além da Ria Formosa, sistema lagunar que abrange toda a área costeira entre Faro e Cacela (já no concelho de Vila Real de Santo António), o Algarve é englobado ainda por outras duas reservas naturais, qualquer delas sem áreas do Estado enquadráveis pela nova legislação: o sapal de Castro Marim e a Costa Vicentina, que além de território algarvio se estende à costa alentejana.

 
 
 

 
observatório do Algarve
Festival do Marisco Olhão 2008, é já segunda.

Começa já na próxima segunda-feira, dia 11, aquele que é considerado como o maior festival do marisco português: o Festival do Marisco de Olhão. Durante as últimas semanas mais de 300 pessoas têm estado a transformar o Jardim do Pescador Olhanense, frente à Ria formosa, no recinto deste festival que espera acolher 50 mil pessoas este ano.

Esta edição volta a aliar a gastronomia algarvia, o marisco e a espectáculos musicais para dar forma a um convite irrecusável para passar por Olhão até ao dia 16 de Agosto.

 

O programa de concertos tem início com os cubanos Orishas vão dar o som de partida da 23ª edição do Festival do Marisco de Olhão, no dia 11, enquanto a espanhola Isabel Pantoja ficará responsável pela animação de encerramento do festival, no dia 16.

 

Os Anjos vão subir ao palco do festival no dia 12, enquanto Rita Guerra e os Xutos & Pontapés vão levar a sua música nos dias 13 e 14, respectivamente. Na sexta-feira, dia 15, será a vez de Paulo Gonzo subir a este palco olhanense. Um programa de espectáculos que a organização acredita que irá ao encontro de todos os gostos musicais e também ao encontro das diferentes faixas etárias.

 

Por 12,50 euros cada visitante tem direito à caneca alusiva, 100 gramas de camarão e uma bebida. As crianças dos sete aos 12 anos pagam quatro euros e têm direito a um refrigerante grátis, enquanto as crianças até aos seis anos têm entrada gratuita.

 

Quem quiser evitar a espera nas bilheteiras no dia do festival, pode adquirir os bilhetes com antecedência na Casa da Juventude de Olhão. O recinto está aberto diariamente entre as 19h30 e as 01h30. 

 
Jornal do Algarve
o que os blogs publicaram esta semana sobre Olhão:

 ETAR!ou será ERAR

O Maltês de Olhão

...Será que a CMO não arranja um projecto em condições, para concorrer aos fundos comunitários, para estas obras. ...

Somos Ohão!

o Bate Estacas

É assim mesmo o que propõe a pró associação Somos Olhão!
Allgarve Gourmet
Não estava a pensar gastar muito dedilhar com o Festival do Marisco...
Festival do Marisco - Olhão2008
...Quais os critérios para distribuição de convites? Por vezes são mais os convidados que os pagantes! São só para a família P.S. e...
FESNIMA Festival do Marisco Olhão 2008
... Contamos com a sua colaboração como cidadão administrador de Empresa Municipal e cumprimento de deveres legais que se apliquem, nós somos: ....


mano zé às 09:54
link do post | comentar

acompanhe a
blogosfera olhanense actualizada a cada meia hora

 

     aqui

visitantes desde 26/12/2008

arquivos

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

subscrever feeds